segunda-feira, 26 junho 2017

USUÁRIOS DO CAPS, ESTUDANTES E A SOCIEDADE PARTICIPAM DE AUDIÊNCIA SOBRE SAÚDE MENTAL

A Audiência Pública que encerrou a Semana da Luta Antimanicomial recebeu um grande público no auditório do Centro Educacional Nilton Oliveira Santos- CENOS, nesta quinta-feira, 18. Estiveram presentes estudantes, segmentos da sociedade, usuários do CAPS I e CAPS AD e seus familiares, médicos e enfermeiros, vereadores do município e o Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF.
 
Promovida através de parcerias entre as secretarias de Assistência Social, Educação e Saúde, a audiência abordou um assunto presente na vida da família brasileira, que são os transtornos emocionais e mentais, muito comum nos dias atuais. Com o tema Pevenção do Suicídio e Valorização da Vida, o encontro apresentou à comunidade o trabalho do Centro de Atenção Psicossial – CAPS, em suas duas unidades instaladas no município, oferecendo também um momento de descontração, com apresentações musicais e uma rica palestra com o Doutor Joel Miguês, terapeuta que pautou seu conteúdo focando no tema central.
 
A Prefeita Quitéria Carneiro participou da mesa, ao lado da Secretária Municipal de Saúde, Jamile Sena e outros membros presentes, afirmando que considerou as ações da Semana da Luta Antimanicomial muito importante, tanto para os usuários do CAPS, quanto para seus familiares, onde além de cosnscientizar as pessoas sobre a necessidade de cuidar da sua saúde mental, hove uma intereação durante as atividades desenvolvidas, que fortaleceu ainda mais a relação família/usuário. Segundo a Prefeita Quitéria, o CAPS é um órgão ligado ao município que ela, pessoalmente, tem dado uma atenção especial, realizando visitas nas duas unidades, dando condições de uma atuação melhor, em defesa da vida, a cada dia. Finalizou.
 
A coordenadora do CAPS, a psicológa Merioldes, comemorou o resultado positivo do evento, afirmando que só foi possível acontecer através das parcerias firmadas entre as secretarias. Merioldes destacou que o grande público que esteve presente, usará as informações passadas para saber identificar casos próximos, tomando as medidas de cuidados, através do trabalho do CAPS.
 
SOBRE O MOVIMENTO ANTAMANICOMIAL:
 
Instituído em 1987, o Movimento Antimanicomial tem como característica a luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro dessa batalha, está o combate à ideia de que se deve isolar o paciente, baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. O objetivo é mostrar que, como todo cidadão, essas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direito a receber cuidado e tratamento sem que, para isso, tenham que abrir mão de seu lugar na sociedade.
 
Por: Departamento de Comunicação – PMS.